Acampando na Florida

Camping
A noite, num cantinho da Florida, vivendo nossa essência.

Esse post é dedicado a quem mora nos Estados Unidos e quer começar a se aventurar acampando por aqui. Ou pra quem já tem prática com acampamentos no Brasil, mas ainda não esteve desbravando a natureza daqui.

Segue um curto vídeo sobre acampar nos Estados Unidos, nesse video mais detalhado sobre a Flórida.

Somos escaladores e montanhistas e estávamos sempre acampando no Brasil com nossos pequenos. E agora aqui não podia ser diferente! Quando você sente sua energia renovar-se após um bom acampamento em família, sua mente já fica criando a próxima oportunidade.

Acampávamos em diversos lugares no Brasil, mas nossa preferência eram os parques, Nacionais, estaduais ou áreas de preservação. E aqui com uma cultura tão sólida de turismo de parques, não podia ser diferente. Como estamos na Florida, não temos montanhas, mas em compensação, a região é generosa em praias especiais e parques onde a atração principal é a água.

Alex_Springs_2020-1654
Acampamento armado. A gente brinca que aqui o camping é mais “nutela”, pois note onde o carro fica estacionado! E todo o “luxo” de infra-estrutura que conseguimos levar.

E como é acampar aqui? Quais as diferenças? Primeiro é a infra-estrutura. Chegamos perto do ThanksGiving, um feriado tão significativo quanto o Natal, para os americanos e tentamos conseguir alguma reserva cerca de duas semana as antes do feriado. Pro nosso choque, não havia um lugarzinho de barraca disponível, umzinho só… Então, se possível, se planeje e reserve com antecedência. Em alguns lugares muito conhecidos e procurados, de 2 a 6 meses! Mas sempre achamos um cantinho para armar a barraca, pode não ser dentro daquele parque especial, mas um chãozinho sempre tem.

Quando se fala em acampar, no pensamento americano, pode ser com barracas ou com RV (recreational vehicle – Motorhome para brasileiros). Então vai da sua preferência e bolso.

IMG_1534
Todos os campings, mesmo os mais simples, como esse acima, tem lugares para fogueira, mesa e churrasqueira. Repare que essa foto é bem do nosso começo aqui na Florida. caixa de papelão, fogareirinho de benzina de uma boca.

Como e onde acampar

A estrutura americana é formada por Parques Nacionais (como Grand Canyon, Everglades, Yosemite, etc), Parques Estaduais, Florestas Nacionais e Áreas de Preservação Nacional. Também tem campings particulares em todas essas áreas de atrações naturais.

São 62 Parques Nacionais no país e todos eles pode-se conseguir reserva para acampar por aqui.

As regras variam. Tem parques que abrem a reserva exatamente um mês antes da data que você pretende acampar, o que acho ótimo, porque nesse caso você não precisa de 4 meses de antecedência. Outros já ficam abertos o ano todo, e nesses fica bem difícil conseguir vaga. Os maiores e mais procurados estão em geral com essa regra dos 14-30 dias de antecedência (como comparação, Itatiaia no Brasil tem a mesma regra).

O Yosemite, camp 4, que é acho que o mais conhecido e procurado, funciona na base de chegar e participar da “loteria”, ou seja, sorteio das vagas que estão, tendo um máximo de 7 noites por lá. Então os parques Nacionais andam com critérios bem justos para se conseguir vagas.

Outro critério importante ao fazer a reserva é escolher a vaga para RV (nesse caso ela é ampla e normalmente tem uma estradinha plana /ou quase para se estacionar a RV. Ou barraca, ou áreas mistas, e ai você precisa citar com o que ira acampar. Todas as áreas colocam o número máximo de pessoas, barracas, carros e RV por campsite.  E tem também os lugares com eletricidade, água e algumas vezes esgoto (full hookup se fornecer esses 3 serviços). Nos parques Nacionais, o comum é encontrar eletricidade e água. O esgoto normalmente fica na entrada/saída dos campings.

Os preços da diária nos parques variam de 20-50 dólares (depende se fornece eletricidade ou não).

IMG_3360
Por dentro do nosso hotel todas as estrelas

Outras formas de acampar se não forem nos Parques Nacionais.

  1. Parques Estaduais, pode-se fazer a reserva através desse site.
  1. Florestas Nacionais e áreas de preservação Nacional – são áreas que não tem a mesma importância de um parque Nacional, mas são gerenciados pelo Governo Federal americano, o mesmo que gerencia os parques Nacionais. A diferença é que normalmente estão em áreas preservadas e algumas vezes próximos aos parques Nacionais, mas sem ter as mesmas atrações tão concorridas. Acampar em florestas Nacionais é menos concorrido e mais barato. As reservas também são feitas pelo site que faz as dos parques nacionais.

Dando o exemplo aqui da Florida, são 3 parques Nacionais, todos ao Sul do Estado. São 175 parques Estaduais e 3 Florestas Nacionais. Ou seja inúmeras possibilidades de acampamento e conhecer essas lindas regiões. Uma dica super legal eé acampar nos springs da Florida, e você pode ver aqui o que são, como fazer para ir e as atividades de la.

IMG_3346
Spring da Florida, para te inspirar a ir acampar num desses maravilhosos lugares. Dá uma olhada nos posts sobre eles.

Infraestrutura

Os campings dos parques Nacionais e Estaduais, todos tem a área delimitada para seu camping, na brincadeira chamamos de latifúndio, pois normalmente é uma área bem grande que esta incluída na sua reserva. Nessa área tem uma mesa com bancos, uma fogueira de chão e uma churrasqueira. E uma torneira com água. TODOS. Isso é super legal, pois você sabe que pode contar com essa estrutura e se planejar. Algumas tem redário.

Esses campings também tem banheiros com chuveiros, normalmente quentes, a não ser que a área seja muito remota. Mas essa informação está sempre bem clara no site do camping, quando você vai fazer a sua reserva. Os maiores parques, tanto estaduais quanto nacionais, tem máquinas de lavar roupa e secar a disposição (no esquema de pagamento por quarters – moedas de 0,25 centavos de dólar).

A eletricidade depende, pois normalmente tem lugares com eletricidades e mais caros, ou sem e mais baratos, ai vai da sua escolha e disponibilidade.

O único porém pra quem vai de barraca é para lavar a louça. Alguns parques têm pias comunitárias próximo ao banheiro, mas são minorias. Então é muito comum você precisar lavar a louca na torneira do seu camping, o que não é lá muito confortável.

Lenha e gelo tem sempre nas pequenas lanchonetes dos campings para vender. Nos acabamos por comprar o gelo no segundo dia, mas saimos de casa abastecidos. Lenha normalmente compramos no camping mesmo. E também sempre tem algumas coisinhas básicas pra vender nas pequenas lanchonetes. Mas não conte com isso. Defina seu cardápio e saia de casa com suprimentos para todas as refeições.

Sugestões de refeições fáceis para as noites de camping são mexicano, hamburguer, macarronadas. Durante o dia passamos com snacks, frutas e wraps.

O que levar

Como os campings daqui são muito mais estruturados que os brasileiros, nós temos algumas histórias engraçadas. Tínhamos fogareiro de benzina no Brasil, super técnico, pois era necessário carregarmos toda a carga na mochila. Ai chegamos aqui e fomo acampar com nosso fogareirinho pequeniníssimo de uma boca, levamos comida liofilizada (aquelas desidratadas de pacotinho) e estávamos felizes da vida preparando nosso jantar. Quando chega nosso vizinho de camping, com uma caminhonete enorme, baixa uma churrasqueira e uns bifões enormes. E o cheiro maravilhoso de churrasco no ar. Meu filho pergunta…sério que ele vai comer churrasco e nós essa comida? Foi engraçado! Ai começamos a preparar nosso camping um pouco mais “nutela” para se adequar a forma americana e gostosa de acampar. Claro que ainda é possível acampar de forma mais técnica. Mas aqui está tão fácil acampar assim, que nos adaptamos fácil!

Então fiz um check-list do nosso acampamento “americano” e coloco pra vocês. Quem sabe já facilita a vida!

 

Check list Camping na Florida

Camping

– Barraca

– Lona para colocar debaixo da barraca (se não tiver essa lona/toldo, um jornal velho já ajuda a proteger da umidade e protege a barraca)

– Saco de dormir, colchonete, ou colchão inflável

– Isolante térmico (isso é bem importante para proteger da umidade, pode ser mat de yoga de borracha, tapetinho de criança de borracha, qualquer coisa que isole da friagem do chão). Caso seja colchão inflável de camping, ele já tem esse isolamento.

– Travesseiro (se sentir necessidade)

– Cobertores

–  Lanternas

– Lona (para barracas não muito resistentes a água, para colocar por cima da barraca em caso de chuva) – barracas novas ou de qualidade não precisam dessa lona.

– Canopy  (essas tendas de praia mesmo). Se tiver, é legal para colocar em cima da mesa (todos os campings tem mesa). Protege do sereno e chuva.

Cozinha

– Fogareiro

– Gás reserva

– Panelas, frigideira, tabua de corte, etc (pensar no cardápio)

– Pratos, copos e talheres (alguns talheres para cozinhar) – para toda a família

– Cantil, Squeeze, Streamer, ou qualquer garrafa para água (para todos)

– Sabão e esponja para lavar louça

– Pano de prato

– Cadeiras (de praia ou camping –quem tiver)

– Garrafas de água mineral (suficiente para todos e cozinhar, todos os dias)

– Lenha (normalmente uma família usa um fardo de lenha por noite) -no publix é o lugar mais barato.

– Vinho ou bebidas que tomar (quem tomar) e taças ou canecas – o que for da preferência

– Se tomar café, os apetrechos necessários para fazê-lo

– Isqueiro ou acendedor

– Rolo de toalha de papel

– Cooler com gelo (precisaremos de outro fardo para o segundo-terceiro dia, mas normalmente compramos lá, um por dia. Saímos com o primeiro dia daqui).

– Nós tb usamos um cooler de armário de comida. Um fica com as coisas de geladeira e o outro fica com comidas. Esse nosso segundo não é a prova de bichos (racoons abriram ele) então deixamos no carro, pra garantir.

– Toalha de mesa (eu levo essas externas de plástico)

Vestuário

– Roupas íntimas e meias

– Camisetas

– Bermudas e calça comprida

– Casaco

– Pijama ou roupa confortável para dormir

– Boné, ou outra cobertura de cabeça

– Roupa de banho

– Chinelo

– Calçado fechado (confortável)

– Capa de chuva

– Toalha de banho (piscina e banho)

– roupa de cama (se achar necessário, não for levar saco de dormir, etc.)

– Bóia de braço ou outra bóia que usem para as crianças pequenas

Higiene

– Toalha de banho

– Shampoo, condicionador e sabonete (se tiver banheiro e fizer questão do banho)

– Escova, pasta de dente e fio dental

– Desodorantes

– Papel higiênico

– Lenço umedecido

 

Outras coisas importantes

– Repelente contra insetos

– Protetor Solar

-Pilhas reservas para lanternas (tudo o que utilizar pilhas)

– Óculos de sol

– Canivete multifuncional

– Sacos plásticos (vários) para lixo, roupas sujas e molhadas

– Primeiros socorros

– Cordinhas, cabinhos ou sisal, para amarras, para prender o toldo, para estender roupa, dependurar coisas em árvores, para tudo!)

– Lampião, luminárias de acampamento (quem tiver)

Comidinhas por família

– Frutas

– Água para tomar e cozinhar para todos os dias

– Bebidas de preferência (sucos, sucos pequenos para trilhas/dia, cerveja e/ou vinho para a noite)

– Snacks para dia, beliscos a noite, etc.

– Comidas do cardápio abaixo

– Lembrar de temperos, azeite, cebola, açúcar, fósforo ou acendedor reserva

 

Por hoje é isso. Espero que se você more por aqui, se inspire a buscar outras atividades, curtir a incrível natureza desse estado lindo e aproveitar a convivência com família, amigos e natureza!

Boas aventuras!

 

Aventuras na natureza da Flórida

IMG_1358
Spring Silver Glen e sua água turquesa, um convite ao banho (mesmo frio).

Para aqueles que querem um pouco mais da Flórida do que os parques, as compras e as atrações urbanas, aqui  tem tantos outros encantos! Hoje vamos falar dos springs. As piscinas naturais da Florida, chamados de Springs, são regiões de afloramento do grande aquífero da Florida. Esse aquífero é formado por águas minerais, proveniente das chuva e do próprio lençol freático, são filtradas e resfriadas pela camada de calcário que existe na geologia da Florida.

Colocando de forma mais amigável, as piscinas naturais da Florida são alguns dos lugares de agua mais espetaculares que já vi! É tao bonito que a sua primeira reação ao entrar num spring é literalmente ficar boquiaberto e apenas contemplar de onde é possível vir tanta transparência e beleza!

Essas fontes, além de fornecerem água mineral para engarrafamento, e serem a maior reserva de água potável do estado, são regiões, parques e áreas de preservação ambiental (felizmente) e podem ser visitadas e admiradas.

IMG_1561
Cores de tirar o fôlego
IMG_1344 2
Mesmo fria em um dia de inverno, não resistimos

IMG_1382
Bora lá?

Onde ficam os springs?

Os springs estão espalhados pela Florida toda, são mais de 300 ao total, entre parques, áreas de preservação e áreas privadas, como é possível ver nesse mapa.

mapa Springs
Mapa de localização dos springs. Fonte: https://www.floridaspringlife.com/florida-springs

Além dos mapas, esse site traz muita informação sobre cada spring, de forma resumida, o que e possível fazer em cada um (alguns se pode nadar, outros não – por exemplo) e ajuda na decisão de qual spring visitar (em inglês).

Para decidir qual spring visitar, é importante verificar quanto tempo pretende ficar na estrada, pois, eles estão espalhados por toda a Flórida. Os exemplos abaixo são os springs mais próximos a Orlando. Clique no nome do parque para ir para o site principal do mesmo. Todos os springs tem uma taxa de visitação que variam de 5 a 8 dólares por pessoa.

Springs  mais conhecidos e a distância de Orlando:

Wekiwa Springs State Park – 45 min

Weeki Wachee Springs State Park – 2 horas

Esse parque é o que tem o show das sereias, que é um show que acontece num auditório subterrâneo desde 1947, 365 dias por ano e 3 vezes ao dia. Esse show é feito num aquário natural, com águas do spring, onde ocorre um show com 5 sereias. As crianças principalmente ficam encantadas. Atualmente as regras ambientais não permitiriam a instalação de um show como esse, mas como ele já ocorre há muito tempo, ele é mantido.

Blue spring State Park– 1 hora

Rainbow Springs State Park and Rainbow River– 1,5 horas

Three Sisters Springs– 1,5 horas

Dos lugares que cito, esse é o único que é privado, não um parque. Então ele é um pouco mais caro para visitação, mas oferece uma jardineira para transporte entre o centrinho da cidade e o spring. As regras de preservação, para entrar na agua são as mesmas dos parques.

Outra característica importante a considerar é a época do ano em que a visita ocorrerá.  Se for inverno, quase nenhum spring permite entrar na água, porque as águas nessa época pertencem aos peixes-boi. Mas pode entrar de caiaque e canoa, então você ainda pode remar com esse gigantes e dóceis amigos pertinhos de você.

Dá uma olhada nesse vídeo abaixo, foi em um dos springs onde estávamos remando e em baixo de nós tinha uma mãe e um filhote de peixe-boi. Foi um passeio inesquecível!

Atividades

Caiaques e canoas – Em todos os springs que fomos é possível alugar caiaques e canoas e fazer passeios nos lindos rios, com tartarugas, muitos peixes e aves.

Trilhas – trilhas de tamanhos variados para fazer, desde longas caminhadas até curtos passeios, inclusive com acesso a cadeirantes e portadores de necessidades.

Camping -todas os springs tem áreas de camping, alguns bem concorridos e difíceis de conseguir vagas. Acampar nos springs foi tema desse outro post aqui.

Mergulho snorkel com peixe-boi – em alguns springs é permitido fazer mergulho guiado com peixe-boi, como no caso do Crystal River, mergulho com snorkel.

Mergulho autônomo- mais uma opção de passeio nos springs é o mergulho. Em algum deles, e permitido mergulho com e sem equipamento.

Devil’s Den Spring – Williston, Fl

Manatee Springs State Park– Cheifland, Fl

Ginnie Spring– High Spring, Fl

Blue Grotto Dive Resort – Williston, Fl

 

Manatees

Quando você visita a Florida, além dos jacarés, um outro animal muito importante na fauna do estado é o peixe-boi, o manatee. Moro no litoral, mas aqui também desemboca um grande rio que forma inúmeros canais de acesso ao mar. No inverno, quando as aguas do mar se resfriam, os peixes-boi adentram pelos canais em busca de agua mais aquecida. As aguas dos springs estão sempre de 20 a 23 graus, o que é mais quente que a agua do mar no inverno. Nesses períodos, de novembro a marco, é possível encontrar dezenas de peixe-boi nos springs e canais. Eles são enormes, dóceis e em alguns springs é possível nadar, boiar, andar de caiaque e canoa ou mergulhar com eles. Em outros as regras são mais controladas. Mas todos eles tem oe manatees como ponto alto do passeio e de preservação.

Jacarés

Flórida é um estado que tem jacarés por todos os lados. Então você verá placas de que é possível encontrar algum jacaré nas aguas dos springs. Nós nunca vimos um nos springs. As aguas são normalmente frias para eles, então eles ficam mais nos lagos. Sim, já cruzamos com muitos jacarés nos nossos passeios, mas não nos springs.

 

O próximo post será sobre acampar na Florida, como fazer, o que levar, para motivar o turismo de natureza, o contato e a vivencia outdoor que é tão importante para nos e nossos filhos.

 

 

Viver na Florida, como é?

Depois de um bom tempo sem passar por aqui, venho contar as novidades! Ainda devo muitos posts dos destinos, mas quem sabe agora consiga alavancar com mais velocidade.

A novidade é que em Setembro do ano passado deixamos o Brasil e estamos morando na Florida, Estados Unidos. Era uma possibilidade de mudança do trabalho do meu marido que se efetivou e trouxe um sonho antigo. O de passar um tempo com minha família, aproveitar um ano sabático e repensar a vida.  Estou vivendo a chance de ficar com meus filhos, leva-los à escola, acompanhar refeições, descobertas e dificuldades dessa nova vida que abraçamos.

IMG_1155 (1)

Sim, foi uma linda oportunidade, mas que veio como um vendaval na historia da família. Deixamos tudo pra trás, guardamos alguns objetos de valor sentimental no Brasil e embarcamos com duas malas cada um, coração e peito aberto para receber o novo.

Foram alguns meses de angustia e correria na saída do meu emprego de multinacional, preparar tudo para uma saída um pouco menos dolorida do Brasil e uma chegada aqui cuidadosa. Ficaremos longe da família, dos amigos e referências.

É uma mudança para cada um na sua especificidade. Eu sai do meu trabalho de 15 anos e assumi o papel de mãe e dona de casa em tempo integral. Lindo, mas é um papel, principalmente o de dona de casa, ao qual eu ainda não estava habituada, que traz rotinas fisicamente mais pesadas e mais “ingratas”, no sentido que você acabou de limpar o chão da sua cozinha, serviu almoço e seus lindos passarinhos terão derrubado perto de 1/3 do prato no chão. Bora lá limpar novamente. Sei que tanto já se disse sobre isso, é que é a primeira vez que estou vivendo isso na pele. Essa explanação foi só pra exemplificar um pouco das minhas sensações, e claro que só as dificuldades da mudança.

A parte boa, incrível na verdade, e que posso estar suportando cada minuto da adaptação dos meus filhos, que não falavam inglês, na escola, na busca por amigos e socialização. Acompanho de perto cada dificuldade, cada medo, cada refeição diferente dos americanos, cada duvida e passinho da integração deles. A oportunidade de olhar pra mim e para minha família, de conseguir um olhar atento e sem pressa. De parar para respirar e principalmente agradecer!

Enfim, blog ficou “fechado para balanço” mas voltou com vontade!

Já nos próximos posts teremos as primeiras aventuras em terras americanas. Nossa proposta aqui é continuar sendo quem somos, ligados a natureza e ao esporte. Então nossas primeiras experiências aqui foram além parques da Disney. Claro que por este ano estamos com o passe anual da Disney para que as crianças possam ter essa experiência também, mas os melhores momentos cultivados destes 5 meses que estamos aqui foram relacionados a acampamentos e lugares lindos que conhecemos!
Então iremos passar todas as dicas para vocês que queiram vir para cá e conhecer um além Disney na Florida!

Junto com o blog, estamos com um canal no YouTube, para acesso rápido, vídeos e dicas. Passa lá, da um subscribe e vem acompanhar nossas aventurinhas tanto por aqui, quanto pelo Youtube.

Da uma olhada na nova introdução no nosso canal, onde mostramos um pouco dos destinos que já conhecemos e conto como serão as dicas nas mídias sociais.

Te espero aqui e lá!

Bjs

Dani

 

 

Passo a passo para organizar sua viagem ao exterior sem agência de turismo

Algarve
Foto de nossa última viagem – Algarve, Portugal

E aí você decide fazer uma viagem internacional com sua família, sem agência de turismo, por conta (eu considero que a viagem já começa no planejamento – acho uma delícia) e não sabe por onde começar. Esse post não tem pretensão de ensinar ou falar verdades. É mais para contar um pouco da minha experiência e como planejo as nossas viagens e dos amigos e familiares que gosto de palpitar o)

Claro que como todo mundo eu tenho minha wish list, alguns mais prováveis, outros ainda bem distantes por “n” motivos. Mas e aí, qual será o próximo destino das férias? O primeiro critério é o valor que posso e estou disposta a pagar. Se a decisão for fora do Brasil, será América do Sul ou outro continente? Essa decisão é basicamente financeira. Claro que viagens em euro ou dólar, o investimento é outro.

  1. Aéreo internacional com antecedência

Eu sempre tento usar as estimadas e suadas milhas nessas viagens e como a passagem aérea é o primeiro item a ser fechado, começa a busca. Se o destino é Europa e Estados Unidos, 6 meses de antecedência é sempre uma boa prática. Claro que podem existir campanhas de venda, ofertas de última hora, mas de forma geral, a antecedência é amiga da economia. Já tentei comprar passagens em dinheiro e com milhas com maior antecedência, como 8, 9 meses, mas aí com milhas, acredito que o sistema não libera os bons valores de milhas antes dos 6 meses, pois nas minhas tentativas para os mais variados destinos, é com 6 meses que costuma aparecer as milhas razoáveis para cada destino.

Para compra em dinheiro apenas, antes dos 6 meses já dá para encontrar bons preços, mas no meu caso, procuro tirar o máximo de passagens com milhas e um ou outra com dinheiro (se necessário), então meu prazo é sempre 6 meses. Para a América do Sul, algumas vezes até com 3 meses se consegue bons preços, menos para destinos de neve em julho (para esse, antecedência também é a palavra-chave).

  1. Câmbio favorável e aéreo barato

Alguns destinos apresentam duas boas características: passagens baratas e moeda com câmbio favorável para o nosso lado, é o caso da África. Outros casos você acaba encontrando um dos dois, aéreo caro (Grécia, Tailândia) e custo de viagem terrestre mais alimentação favoráveis. Mas o aéreo acaba pesando, principalmente em famílias como a minha, pois que somos 4, então ainda estou procurando os lugares com aéreo em bons preços e moeda local favorável ou custo de viagem baixo. Esses com certeza serão meus próximos destinos.

Alguns destinos abaixo têm moeda e custo de viagem favorável com relação ao Real, mas o aéreo nem sempre acompanha: Grécia, Leste Europeu, Índia, Nepal, Ásia com Vietnã, Caos e Camboja, Polônia, República Tcheca.

E alguns tem a dupla vantagem, bons preços de aéreos e moeda favorável, como: Marrocos, África do Sul, Egito, México.

E a América do Sul. Aqui temos o Chile e Argentina com custo turista já elevado, que aumentou muito nos últimos anos e os países já conhecidos que ainda mantém bons preços e a moeda desvalorizada, como Bolívia, Peru, Colômbia e Uruguai, que tem lugares lindíssimos e o atrativo de voo curto para se chegar ao destino.

Decidido o destino, agora é garimpar o aéreo. É bom ter uma certa flexibilidade de datas. Sempre tento fechar o período, o mês por exemplo e aí começo a busca pela internet do melhor dia com milhas e preços dentro da minha flexibilidade. O segredo…horas de internet, paciência e busca.

Importante é decidir também a entrada e saída da viagem. Vou para um país só, entro e saio pelo mesmo aeroporto? Ou, como é muito comum na Europa, chego por um lugar, me desloco e volto provavelmente por outro país. Então fecho a entra e saída de viagem e garanto essas passagens. Uma dica legal é entrar e sair por grandes aeroportos, porque aí fica mais fácil conseguir aéreos para este aeroporto ou devolver carro. E considerar como deverá ser a locomoção entre esses pontos.

  1. Passaportes, visto e vacinas

Agora que você já sabe para onde vai, é hora de tratar da tão importante documentação. O que preciso para visitar esse país. Primeiro passo é a corrida ao passaporte para ver o vencimento e os vistos necessários. Tirando a América do Sul, onde a Carteira de Identidade atual com foto recente e suficiente para a viagem, todos os outros países precisam de passaporte. Não deixe para última hora, esses documentos citados aqui, o quanto antes estiverem prontos, mais garantido.

E o próximo é o visto. Segue uma lista anexa dos países onde o visto é necessário para brasileiros.

Concluído Passaportes e Vistos, cheque se o país irá visitar requer alguma vacina especial, como a África que pede vacina de febre amarela com Certificado Internacional. No site da Anvisa, de simples consulta, você consegue ver se o país que irá visitar tem alguma exigência. Consulte aqui.

Existem locais específicos onde você pode obter esse Certificado Internacional, que pode ser consultado pelo site da Anvisa. Dá uma olhada.

 

Roteiro

IMG_2473
Theo ajudando a planejar nosso roteiro

Fechei o aéreo, a documentação e aí?

Agora é hora de decidir o roteiro. Aqui vale desejo, pesquisa, muita pesquisa na net, conversa com amigos. Decidido o país, é pensar quanto tempo se tem e casar com os desejos.

Existem alguns serviços de roteiros personalizados onde pode-se contratar esse tipo de serviço por dia e isso ajuda muito para quem não tem experiência com definir o melhor roteiro, atrações, como se deslocar entre as cidades do roteiro de forma ágil, segura e barata. Eu estou iniciando com essa semente empreendedora, já ela germina. E se você é caçadora de informação na net e fica à vontade com procurar por conta, terá mais essa diversão.

Meus roteiros começam com a definição do não pode faltar e aí busco uns roteiros semelhantes e vou começando com a minha escolha. Importante é ter ideia das cidades de entrada e saída ou pelo menos o país para ir preenchendo os dias com atrações. Claro que destinos únicos são mais simples, aí se pode ir primeiro para hospedagem. Mas no caso de roteiros multi-cidades, ele vem antes das hospedagens. Aqui tento considerar uma antecedência de 3 meses, mas que pode chegar a 1 mês, dependendo da correria (os preços sobrem com menor antecedência, cuidado).

Nesse momento é legal comprar as passagens internas do seu roteiro, principalmente as aéreas pois elas podem representar surpresas desagradáveis nos custos, quando estiverem de última hora.

 

  1. Hospedagem

 

Com o roteiro fechado, hora de achar as hospedagens. Primeira dúvida, casa do Airbnb ou hotel? Depende. Você irá com sua família, quer ter possibilidade de cozinhar em casa e assim baratear um pouco suas despesas e conseguir fazer uma alimentação um pouco mais equilibrada algumas vezes durante a viagem? Então AirBnb é a sua escolha.

Estou de férias, não quero chegar perto da cozinha? Então hotel.

Aqui a escolha é uma decisão baseada em custo (alugar uma casa e fazer algumas refeições nela será mais barato) x conforto e escolha pessoal.

Eu normalmente fico em casas alugadas quando são 3 noites ou mais, pois posso chegar e me sentir em casa mesmo, cozinhar, descansar um pouco. E quando é mais rapidinho que isso eu prefiro hotel.

Nos dois casos considere arrumação diária (algumas casas oferecem esse serviço), localização, café da manhã, etc.

Independente da sua escolha, procure reviews, sempre uso o próprio AirBnb e o Tripadvisor , além do Booking para buscar referências. Verifique forma de pagamento e dê preferência por aquelas que permitem cancelamento gratuito (nem sempre é tão simples assim achar). Verifique horários de check-in e check-out se atendem as suas necessidades.

  1. Aluguel de carro x transporte público

Nesse ponto sua viagem já está quase toda planejada. Seus aéreos intermediários fechados, faltando algumas poucas definições.  Alugar carro ou usar transporte público? Na minha última viagem tivemos um caso desses. Estava em Portugal, iria pra Espanha e de lá iria embora, sem voltar para Portugal. Alugar o carro em Portugal e devolver na Espanha, inclui uma taxa de retorno, que no nosso caso estava dando 600 euros a mais, só de taxa! Então alugamos o carro em Portugal, devolvemos no finzinho da nossa viagem em Portugal mesmo e sem pagar taxa de retorno. Seguimos para Espanha em ônibus regulares intermunicipais (não tinha trens nesse trecho). E assim optamos por essa boa economia na viagem.

Também considere na sua escolha se a cidade que você vai está bem servida de transporte público, principalmente metrô. Outros cuidados, o hotel cobra para estacionar o carro? Existe estacionamento fácil nas cidades escolhidas? Normalmente isso faz com que você opte por ficar sem carro, principalmente nas grandes cidades.

  1. Hora dos detalhes da reserva aérea: assento, escolha de refeições e programa de milhas

Viagem está quase chegando! Vai viajar com crianças? É muito importante escolher o assento (se sua passagem já permitir) e as refeições. Olhar se o voo escolhido tem 3 ou 4 assentos no meio, pensar em como se acomodarem melhor. O seat Guru é sempre minha referência quando procuro saber características do meu voo. Pega um voo de exemplo e navega nele.

Também é hora de checar se cadastrou seu programa de milhas na sua passagem.

 

  1. Seguro de viagem

Esse item já foi mais dor de cabeça. Hoje em dia, quase todos os bons cartões de crédito internacionais e planos de saúde beneficiam o usuário com seguro de viagem internacional gratuito, desde que a passagem tenha sido comprada com o cartão, ou a taxa das milhas. No caso de Plano de saúde, os beneficiários do plano têm esse direito. Nós estamos optando nas últimas vezes pelo seguro do plano de saúde da Sul América, que é da Mondial. Se eles cobrirem, preencham o formulário e irá receber no e-mail as apólices de seguro. Super simples.

Caso seu plano de Saúde ou cartão não cubram, então é hora de fazer cotações. Mesmo achando um dinheiro gasto desnecessariamente, ele é preventivo e alguns países europeus, exigem que o seguro cubra o Tratado de Schengen, então não tem como fugir.

Agora que sua viagem está planejada, basta esperar e se preparar com bagagens e os cuidados para o embarque, mas isso é assunto para outro post!

Crianças viajando desacompanhadas

Post sobre documentação para crianças viajando para o exterior sem os pais

Esse post chega a ser engraçado. Sabe mãe neurótica (como se não fossem sinônimos)? Era eu nesse caso. Para você que ainda não sabe a história, um pequeno recomeço. Nesse ano Bruno e eu fazemos 10 anos juntos! E com isso a vontade de fazer uma viagem só nós dois! Como contamos com dois super avós que nos suportam em tudo, começamos a fazer um plano. Nós iríamos por uma semana para a Grécia, mas nada de Santorini ou os lindos destinos turísticos da Grécia, nosso destino era para escalar, então escolhemos Kalymnos. Depois os pais do Bruno levariam as crianças para Portugal, onde nos encontraríamos todos e seguiríamos viagem juntos, por Portugal e Espanha. Assim juntamos tudo, nossa vontade de passar uns dias sem as crianças e poder escalar muito e a da família de fazer uma viagem juntos por alguns países Europeus.

Os avós chegavam com as crianças por Paris (lembra que as passagens eram com  milhas)? Então, passagem por milhas quase sempre aparecem as deliciosas escalas né. Dormiam em Paris e no dia seguinte pegavam um vôo cedinho para Porto, onde efetivamente começaria a viagem. E nós, os pais, chegaríamos 2 dias depois dele, em Porto.

Aí começa a procura, quais os documentos necessários para uma criança viajar sem os pais? O site da Polícia Federal é muito bom, tem uma cartilha que explica um passo a passo muito claro em quase todo o processo, mas ficou uma dúvida que não consegui resposta. E você precisar, o site com o link da cartilha estão aqui.

Lá do começo, existe primeiro uma possibilidade de já quando faz o passaporte da criança, de permitir a viagem sem um dos pais ou desacompanhada. No nosso caso, os dois precisaram de novos passaportes, pois com tenra idade, a validade do documento é muito pequena, veja aqui por quantos anos vale um passaporte infantil:

Validade do Passaporte

IDADE VALIDADE
1 ano completo a 2 anos incompletos 2 anos
2 anos completos a 3 anos incompletos 3 anos
3 anos completos a 4 anos incompletos 4 anos
4 anos completos a 18 anos incompletos 5 anos
Fonte:  Dúvidas Frequentes — Polícia Federal

Para fazer novo passaporte pode-se escolher entre uma autorização prévia dos responsáveis, que pode ser dada de duas formas:

– A autorização internacional para viajar somente com um dos pais (poderes para o genitor)

– A autorização internacional para viajar desacompanhado ou com um dos pais (poderes amplos)

Agora, os pais podem optar , no momento do pedido do passaporte, em imprimir na página de identificação do próprio documento a autorização, que também constará nos sistemas da Polícia Federal.

Vale lembrar que a autorização valerá por todo o período de validade do documento e não é obrigatória, ou seja, os pais podem optar pelo passaporte convencional onde qualquer viagem sem os dois pais precisa ser autorizada.

Segue o link com essas informações, da própria Polícia Federal.

No nosso caso, desde que esse novo passaporte foi possível, sempre fazemos a autorização parcial, para viajar com apenas um dos genitores, pois assim, se Bruno viajar, eu posso ir encontrá-lo com as crianças, sem precisar de mais documentos. Mas confesso que a segunda autorização, que libera para viajar sem os genitores, me assustou um pouco e não topamos fazer.

Mas ai continuávamos com o problema. Já que esta autorização não estava no passaporte, como faríamos para que eles pudessem viajar com os avós?

Na cartilha tem o seguinte passo a passo (citação da própria cartilha)

“1. Preencher os dados do formulário padrão que pode ser encontrado no portal do CNJ

2.Uma autorização para cada criança ou adolescente.

3.Firma reconhecida em cartório por autenticidade ou semelhança.

4.Indicação do prazo de validade. Caso não seja indicado, será válida por dois anos.

5.Duas vias (uma ficará na Polícia Federal).”

Informações claras e simples. Mas uma dúvida não conseguia responder. E na França, quando eles chegarem lá será que não haverá problema na Emigração Francesa? Liguei na Polícia Federal, no Conselho Nacional de Justiça e não consegui uma resposta firme de como seria lá.

Não consegui nenhum blog ou informação a respeito, aí comecei a ir mais a fundo. Entrando no site da Embaixada do Brasil na França, achei o Formulário de Autorização para Menor viajando desacompanhado bilíngue, Português – Francês e oficial! Então fiz formulários reconhecidos em cartório, conforme mandava a cartilha em Português e bilíngue (Português- Francês). Respondi o questionário bilíngue também nas duas línguas e para ter certeza que ele teria validade jurídica lá na França, mandei fazer apostilamento de Haia nesses formulários. Para saber mais sobre o Apostilamento de Haia, dá uma olhada aqui.

Enfim, para que eles saíssem daqui do Brasil, com os avós, passassem por Paris, embarcassem outro dia em outro aeroporto em Paris e chegassem em Portugal e mais 2 dias em Portugal, mandei fazer dois apostilamentos de Haia (são caros), um para cada filho e fiz 8 de cada reconhecimento em cartório para cada filho e para cada um dos avós. Fiz ao total 16 reconhecimentos de firmas e mais 2 apostilamento de Haia.

Precisava tudo isso? Não, apenas quando nós fomos passar na Emigração Brasileira, no Aeroporto, consegui falar com um agente que me explicou a regra com autoridade de quem conhecia do assunto. A regra que vale é a do país e na saída. Então esses formulários necessários, são apenas 2 por criança, no idioma de origem. Um fica na Polícia e um segue com você (exatamente como estava na Cartilha!). Eu por capricho hoje faria 3 para cada filho, sendo um bilingue, se mais alguma Emigração quiser uma cópia. Mas não precisa sair como essa mãe desesperada aqui e fazer 16 formulários. Acho que valia um comentário no site na Polícia ou algo assim explicando que em caso de entradas e saídas em múltiplos países, vale a saída do seu país e outros não irão questionar, isso me deixaria bem mais tranquila. Meu medo era os avós serem questionados na França por exemplo e não terem toda a documentação correta para apresentar.

Dá uma olhada no tanto de papel reconhecido em cartório que essa mãe maluca aqui fez!

Nova Imagem (2)

Perdi noites de sono com essa preocupação e espero que você não perca e esse post consiga te ajudar!

 

 

Chip EasySim4U funciona?

chip easysim4you
Chip da T-mobile que fornece dados em 140 países

Nesse ano Bruno e eu fazemos 10 anos juntos! E com isso a vontade de fazer uma viagem só nós dois! Como contamos com dois super avós que nos suportam em tudo, começamos a fazer um plano. Nós iríamos por uma semana para a Grécia, mas nada de Santorini ou os lindos destinos turísticos da Grécia, nosso destino era para escalar, então escolhemos Kalymnos. Depois os pais do Bruno levariam as crianças para Portugal, onde nos encontraríamos todos e seguiríamos viagem juntos, por Portugal e Espanha. Assim juntamos tudo, nossa vontade de passar uns dias sem as crianças e poder escalar muito e a da família de fazer uma viagem juntos por alguns países Europeus.

Nossos desafios eram: 9 pessoas de 3 pequenas famílias, todas com um pouco de suadas milhas para serem aproveitadas, um destino em comum, crianças viajando com os avós e sem os pais. Como tínhamos aéreos por milhas, dias diferentes para chegar em Portugal e uma mãe (eu) um tanto receosa da chegada sozinha dos meus sogros com as crianças por Paris, comunicação era essencial. Eles podiam precisar falar conosco na emigração, ou na chegada.

Normalmente compramos chip telefônico no país que chegamos. Nesse caso, isso implicava em chegar sem telefone, ir até uma loja local comprar um chip e como eram 3 países teríamos que comprar 3 cartões. Fora o custo, que em média fica em torno de 15 euros por chip com 1G, 1,5G de dados.

Aí encontramos o que parecia se a solução ideal! Só havia blogs falando bem e muitos, mas muitos reviews bons. O chip Easysim4u.

Esse chip pode ser comprado pela internet (se há tempo suficiente para entrega via correios) ou como no meu caso, que não tinha mais tempo, nós ligamos para a empresa e achamos revenda física em Campinas e São Paulo. Optamos por São Paulo e compramos 3 chips. O atendimento para compra foi bom, prestativo, as confirmações todas via email com data de início e fim da viagem, países envolvidos e todas as informações pertinentes a viagem.

Ele é um chip com funciona com voz e dados nos Estados Unidos e dados na Europa, em mais de 140 países. É de uma empresa Americana de nome, a T-Mobile e a internet é ilimitada.

Algumas vantagens de usar esse chip:

  • Sair do Brasil com o Chip em mãos e já ter internet assim que chegar no país;
  • Quando chegar no Destino é só você colocar o chip da Easysim4u em seu aparelho e a internet já estará funcionando;
  • Se for passar por vários países, não precisará ficar trocando e comprando vários chip, pois o mesmo funciona para mais de 140 países.
  • Você terá internet em seu celular ilimitada o tempo inteiro;
  • Conseguirá manter seu número de WhatsApp para se comunicar com mensagens e ligações com amigos, família ou até mesmo trabalho;
  • Conseguirá usar redes sociais: Facebook, Instagram, E-mails, Skype e mais…
  • Poderá utilizar aplicativos de Mapas como Waze e Google maps, que acabamos sendo muito dependentes nos destinos.

Para ver a lista de países onde o chip funciona, clique aqui.

Com relação ao preço. Se compararmos ao valor do Euro, eu paguei para a nossa viagem (18 dias) cerca de 50 dólares. O chip da operadora local em cada país sairia por preço similar, então as escolhas se equivalem.

O grande contra

Em todos os países que fomos: Grécia, Portugal e Espanha, a internet estava sempre como LTE, ou seja deveria ser até mais rápida que 4G. Em todos o celular aparecia como LTE. Mas a velocidade, ah….sabe aquele “bendito” Edge, “E” que aparece no celular lá no interior de Minas Gerais, que demora minutos para carregar uma simples página da internet, quando consegue carregar? Pois é, apesar do LTE, era essa a velocidade que experimentamos nos 3 cartões, em todos os países. Ou seja, não era um celular com problema, era a característica da internet que compramos.

A impressão é que realmente a tecnologia LTE estava disponível, mas havia uma limitação contratual entre a T-Mobile e a operadora local e a velocidade foi restringida.

Conseguir um suporte não foi dicífil, foi via chat (mas usando o wifi no hotel, porque a própria internet do Easysim não carregava a página do chat…rs). Eles foram atenciosos, mas não resolveram, era essa a velocidade à disposição. E eles falam em contrato, que eles garantem pelo menos 2G, mas gente, era muuuuito lenta!

Voltando nos blogs que visitei, todos eles acabavam revendendo ou direcionando para link pago, pois estive nos mesmos países que muitos blogs, como Portugal, vi muita gente falando muitíssimo bem da velocidade em Portugal. No nosso caso era a mesma internet mais do que irritantemente lenta.

Para uso comum de postar no instagram durante o dia ou no facebook, esquece! Só do wifi do hotel/casa mesmo. O que funcionou foi o WhatsApp e waze e google maps, isso carregava (apesar de algumas vezes ter perdido caminho pela demora em carregar).

Em resumo, compraria novamente? Depende. Se fosse para um país só acho que não compraria novamente não. Voltaria pro chip da operadora local, que a velocidade é garantida, apesar da internet ser limitada ao pacote que está comprando. Se for para visitar diversos países na mesma viagem, talvez, porque chegar no país com a internet funcionando e não ter que ficar procurando loja toda vez ajuda. Mas não considero uma internet, considero um eventual whatsapp e waze em caso de necessidade. Você ainda vai ficar naquelas de entrar nos restaurantes e procurar sinal wifi.

Ainda não testei nos Estados Unidos e lá como é T-mobile, acredito que a velocidade e esse limitação não corram, mas é apenas um palpite. Ainda testo e volto pra contar. Já comprei chip da operadora T-Mobile e aconteceu o inacreditável dentro dos Estados Unidos, eu fiquei sem sinal! Comprei um chip da T-Mobile na Califórnia e como viajava bastante nos Estados Unidos, optei por fazer compra de crédito online todas as vezes que fosse para lá. E tinha eleito a T-Mobile.  Na próxima viagem fui para interior da Florida e não havia sinal, nenhum! Achei que era só azar e que a T-Mobile não era forte na região. Próxima foi para Connecticut e também fiquei sem sinal. Enfim, troquei para AT&T e nunca mais fiquei sem sinal.

É isso. Não acredito que fomos azarados e as únicas pessoas a comprar o chip e ficar com essa internet mega lenta, mas não achei mais reviews como o meu e então resolvi remar contra a maré e contar a nossa experiência.

Espero que a sua seja mehor que a nossa!

Ilha Grande com bebês e crianças pequenas

Este destino já é um velho amigo e foi vivido em várias fases da vida. Solteira e com amigas, sem filhos e com filhos bebês e pequenos. Tem uma Ilha Grande para cada um, pode apostar.

Desta vez, a ideia é dar força para quem pretende mostrar as lindas paisagens da Ilha Grande para as crianças, pequenas ou não! Fomos a primeira vez com eles em 2016, quando Nina tinha 1 ano e 2 meses e Theo tinha 4 anos. E voltamos agora neste final do ano (2017/2018), com minha menor com 3 anos. Foram momentos e necessidades bem diferentes.

Nas duas vezes, passamos antes em Paraty, sempre linda, sempre encantadora, só para andar nas ruazinhas e conhecer algum restaurantinho.

 

A Ilha é linda, praias desertas e movimentadas (para todos os gostos), muita caminhada, mar verde, mar azul, abundante vida marinha, muita muita natureza!  Mar com onda, mar sem onda, comida boa e barata, comida boa e cara (e comida ruim tb). Eu me sinto alimentando a alma lá!

Como chegar

A Ilha Grande é uma ilha em frente a Angra dos Reis. Angra está há 400km de São Paulo e 300 de São José dos Campos. Só se chega a Ilha Grande de barco, mas existem algumas possibilidades.

Barca:

Em Angra dos Reis, existem barcas da CCR (Concessionária licenciada pelo governo para fazer a travessia), saem do cais do porto, no centro da cidade. Os horários podem ser verificados aqui:

A passagem no início de 2018 custava R$16,00 por pessoa, sendo que crianças até 06 anos não pagam. Esta travessia de barca leva em torno de 1:30 horas e não tem ar condicionado. Então há reclamações sobre o calor. Eu já fiz a travessia de barca há alguns anos atrás e foi bem ok com relação a temperatura. Acho que o que manda é a relação custo benefício do que você está buscando, pois é muito mais barata que os barcos rápidos, mas também mais demorada.

 

Barcos rápidos:

Em Angra, com destino a Abraão, a praia principal da Ilha Grande, existem 2 operadoras de barcos rápidos que fazem o trajeto. Com eles, leva cerca de 30 min e custa R$50,00 por pessoa por perna ou R$90,00 se comprar adiantado ida e volta. Detalhe, nos sites falava de meia passagem para crianças, mas na loja na hora de comprar o ingresso, me falaram que isso não existia. Leve isso em consideração, as crianças acima de 05 anos também irão pagar a passagem inteira!

Estas duas operadoras trabalham em horários e dias diferentes, então dá para casar bem com a sua necessidade.

  • Fast Boat Objetiva – valor R$ 50 – 09h / 10h / 12h30 / 17h (não disponível aos sábados) / 18h30
  • Acquaflex Água Viva (não oferece nenhum horário aos sábados) – valor R$ 50 – 7h (não disponível aos domingos) / 11h30 / 12h30 / 17h / 18h30

 

Onde ficar

Abraão é a praia principal da Ilha, onde tem mercado, farmácia, saem a maioria dos passeios de barcos. Sem crianças eu já fiquei em outras praias, mas as duas vezes que fui com eles, optei por ficar no Abraão, justamente pela infraestrutura. Na ilha toda não entram carros, então lá é na caminhada ou de barco.

Quando a Nina era pequena, procurei bastante por flats, porque sempre primei pela alimentação balanceada, correta e eles eram pequenos (1 ano e 4 anos), principalmente ela em introdução alimentar. Então queria um flat para poder preparar refeições. Para ela eu também levei bastante coisa congelada, pequenas refeiçõezinhas, assim garantia que ela comesse o necessário. Como também não era muito fã do micro-ondas e queria poder cozinhar uns brócolis, por exemplo, eu precisava de flat ou apartamento. Apartamento/casa eu não achei. Achei um único flat, que é esse aqui.

Era no meio do centro, na rua principal, ponto porque descíamos do ap e estávamos no meio de tudo. Mas um ponto muito contra, embaixo havia um restaurante que tocava música alta até mais das 23h, todos os dias. O flat era OK, meio escuro, tinha ar condicionado, mas não estava super limpo. O café da manhã era incluso, não tinha sucos naturais (só suco industrializado e ruim – acho isso o fim se tratando de pousada) e o café era em outro prédio e no último andar. Também não tem nenhuma área comum, então a Nina acordava super cedo e para o Theo poder dormir um pouco, a gente tinha que sair caminhar com ela na mochila na rua. E como chovia bastante nessa época do ano, não era tão simples. Seria bem legal se a pousada tivesse um pouco de área comum (guardei isso para as próximas).

Ou seja, se você não primar por ter uma cozinha a disposição, não fique nesse!

Agora dessa última vez, Nina já estava com 3 anos e poderia bem comer o pf e a comida de restaurantes, então procurei pousada mesmo. Iria continuar no Abraão e optamos por ficar na praia do Canto, uma praia no Abraão mesmo, mas bem no canto direito dela. Então não tinha a multidão do centrinho, mas estava há 5 minutos dele.

Lá tem 3 pousadas na sequência da que achamos a melhor para a pior, Caiçara (a melhor, mas estava lotada), Ancoradouro Inn (a que ficamos) e do Canto Inn (esse tem muitos reviews ruins). Todas têm mais ou menos a mesma faixa de preço, são pé na areia e ficam uma ao lado da outra, no cantinho. Tem mais algumas nessa praia, mas não busquei referências das outras não.

Ficamos na Ancoradouro Inn, ela era simples, mas com café muito gostoso e um atendimento cheio de preocupação, nos sentimos muito bem nela. Recomendo!

Ah, para as pousadas, se você tem 2 filhos como eu, não reserve por nenhum site de busca. Todos saiam bem caros, então liguei e negociei por telefone diretamente com as pousadas, pois muitos aceitam duas crianças pequenas pelo preço de 3 pessoas. Quando se tem crianças, os preços de sites são muito automáticos e sempre altos, ligando e conversando dá sempre para negociar, fica a dica!

 

Onde comer:

Definitivamente e para aquele jantar especial (e mais caro) o restaurante Lua e Mar. Ele fica no caminho da pousada e é bem fora de padrão da Ilha Grande. Parece que algum empreendedor que conhece bons restaurantes, serviço e atendimento que montou lá. Padrão dos melhores restaurantes das cidades. Comemos um peixe com banana maravilhoso!

O que fazer

Passeios

Ilha Grande pode ser sentida de lancha, escuna, a pé ou veleiro, vai da sua disposição e disponibilidade financeira.

Nós gostamos de mesclar. Trilhas e passeios com um pouco mais de conforto. Então todas as vezes que fomos para a ilha fizemos os dois, várias praias atingidas através de caminhada e algumas feitas por barcos.

Passeios de lancha

Desta vez fizemos o passeio de lancha apenas um dia. Eles saem caro, cobram por pessoa, inclusive crianças, pois eles alegam que crianças são uma vida para a capitania dos portos e ocupam um lugar de adulto, então o máximo é negociar um pouco o preço. Mas vale a pena, mesmo com alto preço, porque os passeios são lindos!

Já fizemos vários outros entre eles o da Lagoa Azul, que passa pelas praias Lagoa Azul, Freguesia de Santana e Japariz. Bem gostoso, calmo e curto. Bom se estiver com bebês. Mar protegido e não bate muito.

Também fizemos Meia volta a Ilha, Lagoa Azul, Lagoa Verde, Japariz, Praia do Amor e Praia da Feiticeira. Um pouco mais longo, quase um dia todo. Achei que seria muito cansativo. Rolou, mas é bastante tempo de barco.

E desta vez fizemos Ilhas paradisíacas. Este foi o melhor de todos!  Passou pelas Ilhas de Botinas, Ilha de Cataguás, Ponta da Piedade, Praia do Dentista e almoço no Restaurante La Isla na Praia Saco do Céu. Dos restaurantes de paradas de passeio de barco, esse é com certeza o melhor, comida gostosa, grande, mas bem atendido, preço bom e uma vista linda! Eu definitivamente em futuros passeios, se eles passarem por esse restaurante como parada, será um fator para escolha. Além desse passeio ter sido o mais bonito! Dá para levar bebês de boa.

Ilha_Grande-9974
Aqui teve uma vitória pessoal. Theo ganhando confiança em nadar sozinho no mar. Com esse mar tb, nadar assim é um presente!
Ilha_Grande-9971
Nina não quis ficar atrás e corajosa entrou sem bóia!
Ilha_Grande-9952
E a grande vitóia, Theo saltando com muita autoconfiança.
Ilha_Grande-9826
o mar e as brincadeiras (dá pra ver as lanchas que nos levam pros passeios)
Ilha_Grande-9822
o grande jardim que tivemos nesses dias
Ilha_Grande-0023
Ser feliz despenteia!
Ilha_Grande-0017
e estávamos leves

 

Ilha_Grande-0199
Pier do restaurante La Isla, onde paramos para almoçar
Ilha_Grande-0124
Tinha uma árvore com centenas de lagartas, foi incível imaginar uma árvore de lagartas virando uma árvore de borboletas e a linda trasnformação dessa natureza!

Passeios por trilhas

Fomos para Abraãozinho, Praia Negra, Crena, Praia do Pouso, Lopes Mendes e Praia de Santo Antônio. Essas são todas próximas, curtas caminhadas de 20 minutos. As mais longas são Lopes Mendes e Santo Antônio. Para ir a Lopes Mendes, pode-se ir caminhando ou de barco até a Praia do Pouso e de lá, só caminhada para Lopes Mendes. Para nós, com as crianças pequenas, deu uns 40 minutos de caminhada, pois é uma montanhinha a vencer, mas vale a pena. Não é uma praia de crianças por causa das ondas, mas tem uma faixa de areia enorme bem branquinha e mar azul ou verde, dependendo do dia, lindíssimo.

Ilha_Grande-0350
Praia do Abrãozinho
Ilha_Grande-0331
meus indiozinhos na trilha que caminhavam descalços (menos a mãe de pé de apartamento né)
Ilha_Grande-0314
e quando conseguíamos carregar a Nina,pois ela está na trasnição e quer caminhar o tempo todo!
Ilha_Grande-0252
meu aventureiros chegando em Lopes Mendes

E descobrimos esse ano uma outra praia do outro lado de Lopes Mendes, na mesma trilha, que é a Praia de Santo Antônio. Ela tem a trilha um pouco mais curta que a de Lopes Mendes e achei até mais bonita. Eu gosto de praia pequena, mais recortada, com muita mata atlântica e mar mais calmo. A praia de Santo Antônio é assim e ela foi só nossa naquele dia o))) Se tiver tempo e disposição, vai nas duas!

Ilha_Grande-0293
areia fininha e deliciosa da praia de Santo Antônio
Ilha_Grande-0276
Praia de Santo Antônio com toda a sendo desbravada pelas crianças, que conseguiram chegar nela caminhando

 

Dicas de segurança, o que levar, como ficar por lá com crianças pequenas

Dinheiro –lá não tem caixa eletrônico. A grande maioria dos lugares aceita cartões, mas tem desconto se for a dinheiro. Sempre achamos que levamos dinheiro em espécie suficiente e sempre faltou.  Mas dá para se virar de boa com cartão.

Protetor solar com reaplicação, repelente bom e duradouro e lanternas são básicos por lá.

Um bom tênis para caminhadas (embora os meus insistam em fazer trilha na mata descalços, vale sempre um bom tênis).

Capas de chuva (lá chove bastante).

Uma blusinha de frio (se for inverno uma boa blusa)

Para que vai com bebês e pretende fazer papinhas e comidinhas. A oferta de legumes e fruas é limitada, principalmente no verão com muita gente na ilha, então leve seus brócolis ou legumes e frutas específicas, caso precise. Lá vai achar o trio banana, maça, pera, mas não vai além disso. Na verdade, se for levar papinhas ou pequenas marmitinhas já faça e leve congelada, só garantir um freezer e com isso terá as refeições balanceadas do seu pequeno. Para os maiorzinhos como o meu de 6, aí pé tranquilo, pf de peixinho fresco em todo lugar (uma delícia).

Brinquedos, não levamos quase nada e fizemos muitos! Conchas, pauzinhos, folhas, pedaço de esponja do mar, tudo virava nosso brinquedo e assim viramos aventureiros piratas, pesquisadores do mar, ou princesas construindo castelos. Brincamos como nunca

Ilha_Grande-0365
os brinquedos de uma tarde na praia…conchas, esponjas do mar, pedainho de corais e até tijolos, presentes trazidos pelo mar

Para encerrar nossa viagem, olha o presente que o mar nos deixou ver! Antigamente quando saíamos para o mar víamos dezenas dessas estrelas, mas agora fazia alguns anos que não tínhamos essa graça! Ela foi a atração do nosso dia (meu presente de aniversário), olhamos sem tirá-la do mar, várias outras pessoas vieram conhecer essa linda presença marinha e voltamos com ela para bem longe das pessoas, no mar. Voltamos para casa com essa linda lembrança e o super gostinho de quero mais. Ilha grande tem esse dom, sempre deixa com gostinho de quero mais.

estrela do mar
a essa linda estrela do mar que veio brilhar nossos dias e foi devolvida pro mar rapidinho