Apresentando a neve para as crianças, parte 2

G0249894

Assim, logo no começo te convido a ver como foi nossa viagem. Filme curtinho mas feito com o coração!

Chegamos as 2 da manhã em Santiago. Normalmente viajar com bebês é ainda mais cansativo se não comprar a passagem do bebê e for com ele no colo. Como nossas passagens foram com milhas e tentamos viajar mais gastando menos, a Nina iria no colo. Uma coisa boa e rara nesse vôo foi que como ele era noturno (madrugada adentro), estava com baixa ocupação e com isso conseguimos poltrona adicional para eles ficarem. E aí foi um conforto só! Vôo rapidinho, estreamos o uber e Santiago e rapidinho chegamos no apart hotel que ficamos. Camas arrumadinhas, bercinho prontinho, toalhas limpas e felpudas, ap super moderninho e exatamente como nas fotos. As crianças estavam empolgadíssimas, 3 da manhã todo mundo fazendo lanche pra irmos dormir! O link do apart é esse aqui.

No dia seguinte acordamos mais tarde, fizemos comprinhas no supermercado logo ao lado e fomos de uber as 11 da manhã pra estação. Nossa idéia era ira para Farellones, tentar passar o dia brincando um pouco na neve, mas estava insegura do que seria permitido pra Nina fazer em Farellones, pois tudo começava a partir de 1.10m de altura e ela não tinha nem perto disso. Pelo que tinha conseguido de informação (até liguei para lá) ela só poderia entrar na estação se tivesse mais de 1,10m de altura, achei tão esquisito!!! Esse é um ponto para ficar atento quando for pra neve, principalmente com bebês e não sair frustrado, o que será possível fazer de atividades com eles!

Dividimos isso com o Nicolas, nosso motorista super gentil do uber e ele tinha crianças e nos deu a dica de ir até um campo de neve aberto, antes de Farellones, onde muitos chilenos vão passar o dia com as crianças. Não é uma estação, é um campo de neve aberto, com morros, neve fofa. E passar para alugar o trenó num desses lugares da subida da serra. O bom é que não tem custo nenhum, o ruim é que tb não tem infra-estrutura nenhuma. Como não íamos passar o dia inteiro e sim umas 5, 6 horas, achamos  uma boa pedida. Nesses casos, é bom levar lanche, água e, se precisar pedir para o uber parar em lanchonetes/restaurantes para banheiro. Como o uber fica o dia todo com a gente, isso não seria problema. E foi a melhor ideia! Alugamos o trenó e partimos pra montanha. Lá, achamos a nossa pedra como local do piquenique, abrimos a favela (opa, piquenique) e começamos a brincar. Boneco de neve, anjinho, guerrinha de bola de neve, descidas e mais descidas de trenó. Muita diversão em família! Pegamos um sol maravilhoso e um dia inesquecível. A Nina ainda bebê, demorou um pouco para se habituar, mas o Theo saiu do taxi mergulhando de peixinho na neve!

Enfim, para experiências com bebês e crianças pequenas, achei esse passeio maravilhoso!

G0369931
Nossa favelinha/piquenique

G0580041

G0730097
Theo e seu boneco de neve. As crianças tinham óculos, mas era impossível fazê-los ficar com eles!

Voltando, banho de banheira na criançada, sopão cheio de legumes, carboidratos e carnes, bem quentinho e cama, pois no dia seguinte, estação de novo! Essa é mais uma dica pra economizar. Alugar casa e cozinhar. Para muitas pessoas sei que isso não significa férias, mas pra quem gosta de viajar mais e poder economizar um pouco, isso ajuda muito! Além de vc conseguir manter os horários das crianças, elas poderem ir dormir cedo, você consegue evitar as inúmeras massas e bifes com batata frita dos menu kids de restaurantes. Nós vamos em restaurantes, mas em dias como esse, bastante intensos, chegar em casa e poder fazê-los descansar, com refeições de boa qualidade, ajuda muito a manter o ritmo da viagem.

E de manhã, combinamos com o Nicolas e partimos. Dessa vez fomos para a estação El Colorado, uma estação que o uber dava desconto e não era muito grande. Mas como iríamos fazer revezamento com a Nina enquanto o outro esquiava e o Theo tinha aulinha, uma estação não muito grande já serviria pro intento. Ah, o preço normal dessa estação já é em torno de 30 a 40% menor que Valle Nevado, por exemplo.

Essa é a estação que fomos.

Alugamos equipamento na subida (mas depois vimos que lá em cima estava o mesmo preço, pelo menos nessa estação). Fizemos a matrícula do Theo para a aula que seria a tarde e começamos a revezar. Enquanto um brincava com as crianças na neve, o outro ia andar de snowboarding um pouco. Levamos lanches e comemos nossos lanches mesmo, a ideia era comprar almoço ao menos pras crianças, mas o tempo foi passando e quando vimos já estava quase na hora da aula do Theo, então não daria tempo de sentar em restaurante. Como sempre levamos várias opções de comidinhas e lanches, conseguimos nos virar bem! O preço da aula saiu 50% mais barato que o Valle Nevado (somando aula +  equipamento). E a escolinha foi muito legal, uma professora atenciosa, 6 aluninhos por professora. Único ponto é que não podia ficar perto dele e ele nunca tinha feito uma aula longe da mãe ou do pai, então fiquei angustiada.

G0930491
Theo reconhecendo os esquis
G0990510
Na aulinha
G0900482
ficando em pé

Mas pudemos ficar num café acima dele e assistimos ao longe (dava pra ouvir um pouquinho) e ver o que estava acontecendo. A mãe aqui babando dele aprendendo a se virar com pequeninos esquis. E assim continuamos nosso revezamento. Um ficava com a Nina no café, brincando com a neve, lendo livrinhos e de olho no Theo fazendo aulas e o outro subia esquiar. Passamos um dia delicioso! Ficamos até a estação fechar! Como o tempo foi delicioso e a neve estava em pó, aproveitamos muito o dia! Ah, Theo teve um bônus que durante a tarde a neve caiu, sem frio e sem vento, ou seja, tempo perfeito na montanha pra uma viagem inesquecível!

G0860468

G1040534
Nosso companheiro chocolate quente para as paradinhas
G0840462
pés de esqui e bota de snowboarding

No outro dia nosso voo era no fim da tarde, então ficamos por Santiago, vinhozinhos comprados ao fim da viagem pra levar pra casa e voltamos com uma linda experiência na memória e no coração.

G1210588

Bjs e até a próxima, que será a nossa viagem para a África do Sul, com escalada, vinícolas, Cape Town e Safari! E ainda terá Atacama, Fontainebleau, Estados Unidos, Chapada Diamantina e por aí vai!

Destaque

Apresentando a neve para as crianças

G0429953Theo andava pedindo para conhecer a neve já há algum tempo. Concordo que as vontade de uma criança de 4 anos não são lá super enfáticas, mas aí deixou na mãe dele a sementinha da vontade de levá-lo para fazer anjinho, guerra de neve e bonecos…

Foi quando descobri milhas vencendo da Air France. E não dá pra desperdiçar minhas valiosas certo? Elas dariam pra duas passagens, catando mais um pouco de milhas da Delta que é da mesma aliança, algumas horas de internet buscando um voo que saísse por milhas nas duas companhias e voilá, nos renderam 4 dias em Santiago. Como não tínhamos férias nem nada, era o máximo que dava pra passar. Suficiente para alguns bonecos de neve, anjinhos e guerrinhas.

Então que venha Santiago. A ideia aqui é contar um pouquinho de uma viagem pra neve com criança e bebê, a busca da melhor estação onde desse pra todo mundo se divertir um pouquinho. Escolhemos Santiago porque é a forma mais rápida de ver a neve na América do Sul. Bariloche, Ushuaia e outros destinos, necessitariam de conexão e um dia todo disponível para chegar lá, tudo o que nós não tínhamos. Mas se tiver mais tempo, não recomendo a neve de Santiago. Mais dura (dificilmente se tem neve em pó, aquela neve molinha e gostosa de cair), mais caro (esquiar em Santiago sai quase o dobro por dia do que em outros destinos) e mais deslocamento para chegar a montanha ( a não ser que vc fique hospedado no Valle, o que é ainda mais caro, você terá que encarar 1 hora de van ou transporte particular até o Cerro, todos os dias). Mas no nosso caso, era com certeza a melhor opção.

Passagens em mãos, vamos as hospedagens. Nossa primeira idéia é sempre flat ou apartamento, para termos a cozinha a nossa disposição. Dessa vez não foi diferente. Achamos um apartamento (tem centenas em Santiago) bem avaliado, no último bairro de Santiago (que diminuiria um pouco o tempo no transporte para a montanha) e novinho.

Você pode conhecer o apartamento nesse link.

Depois postaremos o que achamos dele. Mas um fato já foi bem positivo. Eles fornecem um número de whats app, mandei pedindo berço, informações sobre transportes em horários alternativos para as estações de esqui e eles prontamente me ajudaram e foram de muita gentileza. Estrelinha pra eles. O site é bom, os apartamentos são novos (já ficamos em apartamentos bem velhinhos e com menos manutenção, pelo mesmo preço) e tem portaria 24h.

Roupas de neve. Sim, precisamos das roupas especiais. O aluguel delas custa cerca de U$15 por dia. Então vai do seu uso. Bruno e eu já temos as roupas. As crianças tinham metade. Achamos mais vantagem aproveitar uma viagem a trabalho e trazer as roupas de fora do que alugar lá. Saiu o mesmo preço e ficaremos com elas. Detalhe, já tínhamos metade das coisas, por isso ficou vantajoso. Se for experimentar 2 ou 3 dias de neve, sem previsão de volta, com as crianças crescendo feito capim novo, melhor alugar! Onde? Falaremos mais abaixo.

Transporte para as estações. Se for de manhã, para passar o dia, tem várias formas. Tour que leva nas 3 estações principais (Farellones, La Parva e Valle Nevado), almoça por lá, brinca na neve e traz de volta pro hotel no final do dia. Você pode checar um exemplo dessa van por aqui. Van que faz o transporte para alguma estação específica (sai em torno da 7:30, 8 da manhã) e retorno lá pelas 17. Ou particular. Os preços dentre as agências que fazem saem mais ou menos a mesma coisa. Esse é o link de uma empresa grande, situada em Las Condes, que faz além do transporte, o aluguel de roupas, aulas de ski e aluguel de equipamento. Muitas empresas em Las Condes fazem essse esquema. Ela é uma boa referência, de confiança para subir ao cerro.

Não recomendo alugar carro. Além do trânsito ser pesado, serem mais de 60 curvas, perigo de black ice (gelo congelado na pista), pode ter a necessidade de correntes, é cansativo, depois de um dia na neve, descer dirigindo com extrema atenção e trânsito, montanha abaixo por mais de 1 hora. Uso transporte alternativo.

Um dica que achei preciosa e que é o que vamos usar. No primeiro dia, não subiremos a montanha de manhazinha, iremos mais tarde porque nosso voo chegará de madrugada. O pessoal do hotel, via whats app, nos recomendou o UBER Ski, dentro do aplicativo do Uber mesmo. Carros novos, 4×4, com correntes, que ficam a sua disposição o tempo inteiro, só pra vc e sua família, mas com a possibilidade de compartilhar, caso esteja sozinho ou queria. Pela metade do preço dos transportes particulares oferecidos pelas agências. Isso mesmo, metade do preço, com muito mais conforto! Um transporte particular de agência está cobrando nesse ano, cerca de U150.000 pesos e o Uber está cobrando 85.000. Esse Uber vai longe! Depois a gente conta a nossa experiência! Dá uma olhada nele nesse link.

Para completar as boas novas, se for para Valle Nevado Ski Resort, o visitante que vier de Uber pode solicitar ao motorista um voucher, que dá 15% de desconto no ingresso que dá acesso às pistas e aos teleféricos. E, na volta, não há nem necessidade de se preocupar em pedir um outro carro, pois o motorista que fez o trajeto até o Valle Nevado é o mesmo que leva os passageiros de volta a Santiago, que podem combinar o horário de retorno diretamente com o condutor.

Essas são as dicas e a organização antes da nossa viagem. Volta aqui para ver como ela foi e se todo esse nosso planejamento funcionou!