Aventuras na natureza da Flórida

IMG_1358
Spring Silver Glen e sua água turquesa, um convite ao banho (mesmo frio).

Para aqueles que querem um pouco mais da Flórida do que os parques, as compras e as atrações urbanas, aqui  tem tantos outros encantos! Hoje vamos falar dos springs. As piscinas naturais da Florida, chamados de Springs, são regiões de afloramento do grande aquífero da Florida. Esse aquífero é formado por águas minerais, proveniente das chuva e do próprio lençol freático, são filtradas e resfriadas pela camada de calcário que existe na geologia da Florida.

Colocando de forma mais amigável, as piscinas naturais da Florida são alguns dos lugares de agua mais espetaculares que já vi! É tao bonito que a sua primeira reação ao entrar num spring é literalmente ficar boquiaberto e apenas contemplar de onde é possível vir tanta transparência e beleza!

Essas fontes, além de fornecerem água mineral para engarrafamento, e serem a maior reserva de água potável do estado, são regiões, parques e áreas de preservação ambiental (felizmente) e podem ser visitadas e admiradas.

IMG_1561
Cores de tirar o fôlego
IMG_1344 2
Mesmo fria em um dia de inverno, não resistimos

IMG_1382
Bora lá?

Onde ficam os springs?

Os springs estão espalhados pela Florida toda, são mais de 300 ao total, entre parques, áreas de preservação e áreas privadas, como é possível ver nesse mapa.

mapa Springs
Mapa de localização dos springs. Fonte: https://www.floridaspringlife.com/florida-springs

Além dos mapas, esse site traz muita informação sobre cada spring, de forma resumida, o que e possível fazer em cada um (alguns se pode nadar, outros não – por exemplo) e ajuda na decisão de qual spring visitar (em inglês).

Para decidir qual spring visitar, é importante verificar quanto tempo pretende ficar na estrada, pois, eles estão espalhados por toda a Flórida. Os exemplos abaixo são os springs mais próximos a Orlando. Clique no nome do parque para ir para o site principal do mesmo. Todos os springs tem uma taxa de visitação que variam de 5 a 8 dólares por pessoa.

Springs  mais conhecidos e a distância de Orlando:

Wekiwa Springs State Park – 45 min

Weeki Wachee Springs State Park – 2 horas

Esse parque é o que tem o show das sereias, que é um show que acontece num auditório subterrâneo desde 1947, 365 dias por ano e 3 vezes ao dia. Esse show é feito num aquário natural, com águas do spring, onde ocorre um show com 5 sereias. As crianças principalmente ficam encantadas. Atualmente as regras ambientais não permitiriam a instalação de um show como esse, mas como ele já ocorre há muito tempo, ele é mantido.

Blue spring State Park– 1 hora

Rainbow Springs State Park and Rainbow River– 1,5 horas

Three Sisters Springs– 1,5 horas

Dos lugares que cito, esse é o único que é privado, não um parque. Então ele é um pouco mais caro para visitação, mas oferece uma jardineira para transporte entre o centrinho da cidade e o spring. As regras de preservação, para entrar na agua são as mesmas dos parques.

Outra característica importante a considerar é a época do ano em que a visita ocorrerá.  Se for inverno, quase nenhum spring permite entrar na água, porque as águas nessa época pertencem aos peixes-boi. Mas pode entrar de caiaque e canoa, então você ainda pode remar com esse gigantes e dóceis amigos pertinhos de você.

Dá uma olhada nesse vídeo abaixo, foi em um dos springs onde estávamos remando e em baixo de nós tinha uma mãe e um filhote de peixe-boi. Foi um passeio inesquecível!

Atividades

Caiaques e canoas – Em todos os springs que fomos é possível alugar caiaques e canoas e fazer passeios nos lindos rios, com tartarugas, muitos peixes e aves.

Trilhas – trilhas de tamanhos variados para fazer, desde longas caminhadas até curtos passeios, inclusive com acesso a cadeirantes e portadores de necessidades.

Camping -todas os springs tem áreas de camping, alguns bem concorridos e difíceis de conseguir vagas. Acampar nos springs foi tema desse outro post aqui.

Mergulho snorkel com peixe-boi – em alguns springs é permitido fazer mergulho guiado com peixe-boi, como no caso do Crystal River, mergulho com snorkel.

Mergulho autônomo- mais uma opção de passeio nos springs é o mergulho. Em algum deles, e permitido mergulho com e sem equipamento.

Devil’s Den Spring – Williston, Fl

Manatee Springs State Park– Cheifland, Fl

Ginnie Spring– High Spring, Fl

Blue Grotto Dive Resort – Williston, Fl

 

Manatees

Quando você visita a Florida, além dos jacarés, um outro animal muito importante na fauna do estado é o peixe-boi, o manatee. Moro no litoral, mas aqui também desemboca um grande rio que forma inúmeros canais de acesso ao mar. No inverno, quando as aguas do mar se resfriam, os peixes-boi adentram pelos canais em busca de agua mais aquecida. As aguas dos springs estão sempre de 20 a 23 graus, o que é mais quente que a agua do mar no inverno. Nesses períodos, de novembro a marco, é possível encontrar dezenas de peixe-boi nos springs e canais. Eles são enormes, dóceis e em alguns springs é possível nadar, boiar, andar de caiaque e canoa ou mergulhar com eles. Em outros as regras são mais controladas. Mas todos eles tem oe manatees como ponto alto do passeio e de preservação.

Jacarés

Flórida é um estado que tem jacarés por todos os lados. Então você verá placas de que é possível encontrar algum jacaré nas aguas dos springs. Nós nunca vimos um nos springs. As aguas são normalmente frias para eles, então eles ficam mais nos lagos. Sim, já cruzamos com muitos jacarés nos nossos passeios, mas não nos springs.

 

O próximo post será sobre acampar na Florida, como fazer, o que levar, para motivar o turismo de natureza, o contato e a vivencia outdoor que é tão importante para nos e nossos filhos.

 

 

Apresentando a neve para as crianças

G0429953Theo andava pedindo para conhecer a neve já há algum tempo. Concordo que as vontade de uma criança de 4 anos não são lá super enfáticas, mas aí deixou na mãe dele a sementinha da vontade de levá-lo para fazer anjinho, guerra de neve e bonecos…

Foi quando descobri milhas vencendo da Air France. E não dá pra desperdiçar minhas valiosas certo? Elas dariam pra duas passagens, catando mais um pouco de milhas da Delta que é da mesma aliança, algumas horas de internet buscando um voo que saísse por milhas nas duas companhias e voilá, nos renderam 4 dias em Santiago. Como não tínhamos férias nem nada, era o máximo que dava pra passar. Suficiente para alguns bonecos de neve, anjinhos e guerrinhas.

Então que venha Santiago. A ideia aqui é contar um pouquinho de uma viagem pra neve com criança e bebê, a busca da melhor estação onde desse pra todo mundo se divertir um pouquinho. Escolhemos Santiago porque é a forma mais rápida de ver a neve na América do Sul. Bariloche, Ushuaia e outros destinos, necessitariam de conexão e um dia todo disponível para chegar lá, tudo o que nós não tínhamos. Mas se tiver mais tempo, não recomendo a neve de Santiago. Mais dura (dificilmente se tem neve em pó, aquela neve molinha e gostosa de cair), mais caro (esquiar em Santiago sai quase o dobro por dia do que em outros destinos) e mais deslocamento para chegar a montanha ( a não ser que vc fique hospedado no Valle, o que é ainda mais caro, você terá que encarar 1 hora de van ou transporte particular até o Cerro, todos os dias). Mas no nosso caso, era com certeza a melhor opção.

Passagens em mãos, vamos as hospedagens. Nossa primeira idéia é sempre flat ou apartamento, para termos a cozinha a nossa disposição. Dessa vez não foi diferente. Achamos um apartamento (tem centenas em Santiago) bem avaliado, no último bairro de Santiago (que diminuiria um pouco o tempo no transporte para a montanha) e novinho.

Você pode conhecer o apartamento nesse link.

Depois postaremos o que achamos dele. Mas um fato já foi bem positivo. Eles fornecem um número de whats app, mandei pedindo berço, informações sobre transportes em horários alternativos para as estações de esqui e eles prontamente me ajudaram e foram de muita gentileza. Estrelinha pra eles. O site é bom, os apartamentos são novos (já ficamos em apartamentos bem velhinhos e com menos manutenção, pelo mesmo preço) e tem portaria 24h.

Roupas de neve. Sim, precisamos das roupas especiais. O aluguel delas custa cerca de U$15 por dia. Então vai do seu uso. Bruno e eu já temos as roupas. As crianças tinham metade. Achamos mais vantagem aproveitar uma viagem a trabalho e trazer as roupas de fora do que alugar lá. Saiu o mesmo preço e ficaremos com elas. Detalhe, já tínhamos metade das coisas, por isso ficou vantajoso. Se for experimentar 2 ou 3 dias de neve, sem previsão de volta, com as crianças crescendo feito capim novo, melhor alugar! Onde? Falaremos mais abaixo.

Transporte para as estações. Se for de manhã, para passar o dia, tem várias formas. Tour que leva nas 3 estações principais (Farellones, La Parva e Valle Nevado), almoça por lá, brinca na neve e traz de volta pro hotel no final do dia. Você pode checar um exemplo dessa van por aqui. Van que faz o transporte para alguma estação específica (sai em torno da 7:30, 8 da manhã) e retorno lá pelas 17. Ou particular. Os preços dentre as agências que fazem saem mais ou menos a mesma coisa. Esse é o link de uma empresa grande, situada em Las Condes, que faz além do transporte, o aluguel de roupas, aulas de ski e aluguel de equipamento. Muitas empresas em Las Condes fazem essse esquema. Ela é uma boa referência, de confiança para subir ao cerro.

Não recomendo alugar carro. Além do trânsito ser pesado, serem mais de 60 curvas, perigo de black ice (gelo congelado na pista), pode ter a necessidade de correntes, é cansativo, depois de um dia na neve, descer dirigindo com extrema atenção e trânsito, montanha abaixo por mais de 1 hora. Uso transporte alternativo.

Um dica que achei preciosa e que é o que vamos usar. No primeiro dia, não subiremos a montanha de manhazinha, iremos mais tarde porque nosso voo chegará de madrugada. O pessoal do hotel, via whats app, nos recomendou o UBER Ski, dentro do aplicativo do Uber mesmo. Carros novos, 4×4, com correntes, que ficam a sua disposição o tempo inteiro, só pra vc e sua família, mas com a possibilidade de compartilhar, caso esteja sozinho ou queria. Pela metade do preço dos transportes particulares oferecidos pelas agências. Isso mesmo, metade do preço, com muito mais conforto! Um transporte particular de agência está cobrando nesse ano, cerca de U150.000 pesos e o Uber está cobrando 85.000. Esse Uber vai longe! Depois a gente conta a nossa experiência! Dá uma olhada nele nesse link.

Para completar as boas novas, se for para Valle Nevado Ski Resort, o visitante que vier de Uber pode solicitar ao motorista um voucher, que dá 15% de desconto no ingresso que dá acesso às pistas e aos teleféricos. E, na volta, não há nem necessidade de se preocupar em pedir um outro carro, pois o motorista que fez o trajeto até o Valle Nevado é o mesmo que leva os passageiros de volta a Santiago, que podem combinar o horário de retorno diretamente com o condutor.

Essas são as dicas e a organização antes da nossa viagem. Volta aqui para ver como ela foi e se todo esse nosso planejamento funcionou!