Aventuras na natureza da Flórida

IMG_1358
Spring Silver Glen e sua água turquesa, um convite ao banho (mesmo frio).

Para aqueles que querem um pouco mais da Flórida do que os parques, as compras e as atrações urbanas, aqui  tem tantos outros encantos! Hoje vamos falar dos springs. As piscinas naturais da Florida, chamados de Springs, são regiões de afloramento do grande aquífero da Florida. Esse aquífero é formado por águas minerais, proveniente das chuva e do próprio lençol freático, são filtradas e resfriadas pela camada de calcário que existe na geologia da Florida.

Colocando de forma mais amigável, as piscinas naturais da Florida são alguns dos lugares de agua mais espetaculares que já vi! É tao bonito que a sua primeira reação ao entrar num spring é literalmente ficar boquiaberto e apenas contemplar de onde é possível vir tanta transparência e beleza!

Essas fontes, além de fornecerem água mineral para engarrafamento, e serem a maior reserva de água potável do estado, são regiões, parques e áreas de preservação ambiental (felizmente) e podem ser visitadas e admiradas.

IMG_1561
Cores de tirar o fôlego
IMG_1344 2
Mesmo fria em um dia de inverno, não resistimos

IMG_1382
Bora lá?

Onde ficam os springs?

Os springs estão espalhados pela Florida toda, são mais de 300 ao total, entre parques, áreas de preservação e áreas privadas, como é possível ver nesse mapa.

mapa Springs
Mapa de localização dos springs. Fonte: https://www.floridaspringlife.com/florida-springs

Além dos mapas, esse site traz muita informação sobre cada spring, de forma resumida, o que e possível fazer em cada um (alguns se pode nadar, outros não – por exemplo) e ajuda na decisão de qual spring visitar (em inglês).

Para decidir qual spring visitar, é importante verificar quanto tempo pretende ficar na estrada, pois, eles estão espalhados por toda a Flórida. Os exemplos abaixo são os springs mais próximos a Orlando. Clique no nome do parque para ir para o site principal do mesmo. Todos os springs tem uma taxa de visitação que variam de 5 a 8 dólares por pessoa.

Springs  mais conhecidos e a distância de Orlando:

Wekiwa Springs State Park – 45 min

Weeki Wachee Springs State Park – 2 horas

Esse parque é o que tem o show das sereias, que é um show que acontece num auditório subterrâneo desde 1947, 365 dias por ano e 3 vezes ao dia. Esse show é feito num aquário natural, com águas do spring, onde ocorre um show com 5 sereias. As crianças principalmente ficam encantadas. Atualmente as regras ambientais não permitiriam a instalação de um show como esse, mas como ele já ocorre há muito tempo, ele é mantido.

Blue spring State Park– 1 hora

Rainbow Springs State Park and Rainbow River– 1,5 horas

Three Sisters Springs– 1,5 horas

Dos lugares que cito, esse é o único que é privado, não um parque. Então ele é um pouco mais caro para visitação, mas oferece uma jardineira para transporte entre o centrinho da cidade e o spring. As regras de preservação, para entrar na agua são as mesmas dos parques.

Outra característica importante a considerar é a época do ano em que a visita ocorrerá.  Se for inverno, quase nenhum spring permite entrar na água, porque as águas nessa época pertencem aos peixes-boi. Mas pode entrar de caiaque e canoa, então você ainda pode remar com esse gigantes e dóceis amigos pertinhos de você.

Dá uma olhada nesse vídeo abaixo, foi em um dos springs onde estávamos remando e em baixo de nós tinha uma mãe e um filhote de peixe-boi. Foi um passeio inesquecível!

Atividades

Caiaques e canoas – Em todos os springs que fomos é possível alugar caiaques e canoas e fazer passeios nos lindos rios, com tartarugas, muitos peixes e aves.

Trilhas – trilhas de tamanhos variados para fazer, desde longas caminhadas até curtos passeios, inclusive com acesso a cadeirantes e portadores de necessidades.

Camping -todas os springs tem áreas de camping, alguns bem concorridos e difíceis de conseguir vagas. Acampar nos springs foi tema desse outro post aqui.

Mergulho snorkel com peixe-boi – em alguns springs é permitido fazer mergulho guiado com peixe-boi, como no caso do Crystal River, mergulho com snorkel.

Mergulho autônomo- mais uma opção de passeio nos springs é o mergulho. Em algum deles, e permitido mergulho com e sem equipamento.

Devil’s Den Spring – Williston, Fl

Manatee Springs State Park– Cheifland, Fl

Ginnie Spring– High Spring, Fl

Blue Grotto Dive Resort – Williston, Fl

 

Manatees

Quando você visita a Florida, além dos jacarés, um outro animal muito importante na fauna do estado é o peixe-boi, o manatee. Moro no litoral, mas aqui também desemboca um grande rio que forma inúmeros canais de acesso ao mar. No inverno, quando as aguas do mar se resfriam, os peixes-boi adentram pelos canais em busca de agua mais aquecida. As aguas dos springs estão sempre de 20 a 23 graus, o que é mais quente que a agua do mar no inverno. Nesses períodos, de novembro a marco, é possível encontrar dezenas de peixe-boi nos springs e canais. Eles são enormes, dóceis e em alguns springs é possível nadar, boiar, andar de caiaque e canoa ou mergulhar com eles. Em outros as regras são mais controladas. Mas todos eles tem oe manatees como ponto alto do passeio e de preservação.

Jacarés

Flórida é um estado que tem jacarés por todos os lados. Então você verá placas de que é possível encontrar algum jacaré nas aguas dos springs. Nós nunca vimos um nos springs. As aguas são normalmente frias para eles, então eles ficam mais nos lagos. Sim, já cruzamos com muitos jacarés nos nossos passeios, mas não nos springs.

 

O próximo post será sobre acampar na Florida, como fazer, o que levar, para motivar o turismo de natureza, o contato e a vivencia outdoor que é tão importante para nos e nossos filhos.

 

 

Passo a passo para organizar sua viagem ao exterior sem agência de turismo

Algarve
Foto de nossa última viagem – Algarve, Portugal

E aí você decide fazer uma viagem internacional com sua família, sem agência de turismo, por conta (eu considero que a viagem já começa no planejamento – acho uma delícia) e não sabe por onde começar. Esse post não tem pretensão de ensinar ou falar verdades. É mais para contar um pouco da minha experiência e como planejo as nossas viagens e dos amigos e familiares que gosto de palpitar o)

Claro que como todo mundo eu tenho minha wish list, alguns mais prováveis, outros ainda bem distantes por “n” motivos. Mas e aí, qual será o próximo destino das férias? O primeiro critério é o valor que posso e estou disposta a pagar. Se a decisão for fora do Brasil, será América do Sul ou outro continente? Essa decisão é basicamente financeira. Claro que viagens em euro ou dólar, o investimento é outro.

  1. Aéreo internacional com antecedência

Eu sempre tento usar as estimadas e suadas milhas nessas viagens e como a passagem aérea é o primeiro item a ser fechado, começa a busca. Se o destino é Europa e Estados Unidos, 6 meses de antecedência é sempre uma boa prática. Claro que podem existir campanhas de venda, ofertas de última hora, mas de forma geral, a antecedência é amiga da economia. Já tentei comprar passagens em dinheiro e com milhas com maior antecedência, como 8, 9 meses, mas aí com milhas, acredito que o sistema não libera os bons valores de milhas antes dos 6 meses, pois nas minhas tentativas para os mais variados destinos, é com 6 meses que costuma aparecer as milhas razoáveis para cada destino.

Para compra em dinheiro apenas, antes dos 6 meses já dá para encontrar bons preços, mas no meu caso, procuro tirar o máximo de passagens com milhas e um ou outra com dinheiro (se necessário), então meu prazo é sempre 6 meses. Para a América do Sul, algumas vezes até com 3 meses se consegue bons preços, menos para destinos de neve em julho (para esse, antecedência também é a palavra-chave).

  1. Câmbio favorável e aéreo barato

Alguns destinos apresentam duas boas características: passagens baratas e moeda com câmbio favorável para o nosso lado, é o caso da África. Outros casos você acaba encontrando um dos dois, aéreo caro (Grécia, Tailândia) e custo de viagem terrestre mais alimentação favoráveis. Mas o aéreo acaba pesando, principalmente em famílias como a minha, pois que somos 4, então ainda estou procurando os lugares com aéreo em bons preços e moeda local favorável ou custo de viagem baixo. Esses com certeza serão meus próximos destinos.

Alguns destinos abaixo têm moeda e custo de viagem favorável com relação ao Real, mas o aéreo nem sempre acompanha: Grécia, Leste Europeu, Índia, Nepal, Ásia com Vietnã, Caos e Camboja, Polônia, República Tcheca.

E alguns tem a dupla vantagem, bons preços de aéreos e moeda favorável, como: Marrocos, África do Sul, Egito, México.

E a América do Sul. Aqui temos o Chile e Argentina com custo turista já elevado, que aumentou muito nos últimos anos e os países já conhecidos que ainda mantém bons preços e a moeda desvalorizada, como Bolívia, Peru, Colômbia e Uruguai, que tem lugares lindíssimos e o atrativo de voo curto para se chegar ao destino.

Decidido o destino, agora é garimpar o aéreo. É bom ter uma certa flexibilidade de datas. Sempre tento fechar o período, o mês por exemplo e aí começo a busca pela internet do melhor dia com milhas e preços dentro da minha flexibilidade. O segredo…horas de internet, paciência e busca.

Importante é decidir também a entrada e saída da viagem. Vou para um país só, entro e saio pelo mesmo aeroporto? Ou, como é muito comum na Europa, chego por um lugar, me desloco e volto provavelmente por outro país. Então fecho a entra e saída de viagem e garanto essas passagens. Uma dica legal é entrar e sair por grandes aeroportos, porque aí fica mais fácil conseguir aéreos para este aeroporto ou devolver carro. E considerar como deverá ser a locomoção entre esses pontos.

  1. Passaportes, visto e vacinas

Agora que você já sabe para onde vai, é hora de tratar da tão importante documentação. O que preciso para visitar esse país. Primeiro passo é a corrida ao passaporte para ver o vencimento e os vistos necessários. Tirando a América do Sul, onde a Carteira de Identidade atual com foto recente e suficiente para a viagem, todos os outros países precisam de passaporte. Não deixe para última hora, esses documentos citados aqui, o quanto antes estiverem prontos, mais garantido.

E o próximo é o visto. Segue uma lista anexa dos países onde o visto é necessário para brasileiros.

Concluído Passaportes e Vistos, cheque se o país irá visitar requer alguma vacina especial, como a África que pede vacina de febre amarela com Certificado Internacional. No site da Anvisa, de simples consulta, você consegue ver se o país que irá visitar tem alguma exigência. Consulte aqui.

Existem locais específicos onde você pode obter esse Certificado Internacional, que pode ser consultado pelo site da Anvisa. Dá uma olhada.

 

Roteiro

IMG_2473
Theo ajudando a planejar nosso roteiro

Fechei o aéreo, a documentação e aí?

Agora é hora de decidir o roteiro. Aqui vale desejo, pesquisa, muita pesquisa na net, conversa com amigos. Decidido o país, é pensar quanto tempo se tem e casar com os desejos.

Existem alguns serviços de roteiros personalizados onde pode-se contratar esse tipo de serviço por dia e isso ajuda muito para quem não tem experiência com definir o melhor roteiro, atrações, como se deslocar entre as cidades do roteiro de forma ágil, segura e barata. Eu estou iniciando com essa semente empreendedora, já ela germina. E se você é caçadora de informação na net e fica à vontade com procurar por conta, terá mais essa diversão.

Meus roteiros começam com a definição do não pode faltar e aí busco uns roteiros semelhantes e vou começando com a minha escolha. Importante é ter ideia das cidades de entrada e saída ou pelo menos o país para ir preenchendo os dias com atrações. Claro que destinos únicos são mais simples, aí se pode ir primeiro para hospedagem. Mas no caso de roteiros multi-cidades, ele vem antes das hospedagens. Aqui tento considerar uma antecedência de 3 meses, mas que pode chegar a 1 mês, dependendo da correria (os preços sobrem com menor antecedência, cuidado).

Nesse momento é legal comprar as passagens internas do seu roteiro, principalmente as aéreas pois elas podem representar surpresas desagradáveis nos custos, quando estiverem de última hora.

 

  1. Hospedagem

 

Com o roteiro fechado, hora de achar as hospedagens. Primeira dúvida, casa do Airbnb ou hotel? Depende. Você irá com sua família, quer ter possibilidade de cozinhar em casa e assim baratear um pouco suas despesas e conseguir fazer uma alimentação um pouco mais equilibrada algumas vezes durante a viagem? Então AirBnb é a sua escolha.

Estou de férias, não quero chegar perto da cozinha? Então hotel.

Aqui a escolha é uma decisão baseada em custo (alugar uma casa e fazer algumas refeições nela será mais barato) x conforto e escolha pessoal.

Eu normalmente fico em casas alugadas quando são 3 noites ou mais, pois posso chegar e me sentir em casa mesmo, cozinhar, descansar um pouco. E quando é mais rapidinho que isso eu prefiro hotel.

Nos dois casos considere arrumação diária (algumas casas oferecem esse serviço), localização, café da manhã, etc.

Independente da sua escolha, procure reviews, sempre uso o próprio AirBnb e o Tripadvisor , além do Booking para buscar referências. Verifique forma de pagamento e dê preferência por aquelas que permitem cancelamento gratuito (nem sempre é tão simples assim achar). Verifique horários de check-in e check-out se atendem as suas necessidades.

  1. Aluguel de carro x transporte público

Nesse ponto sua viagem já está quase toda planejada. Seus aéreos intermediários fechados, faltando algumas poucas definições.  Alugar carro ou usar transporte público? Na minha última viagem tivemos um caso desses. Estava em Portugal, iria pra Espanha e de lá iria embora, sem voltar para Portugal. Alugar o carro em Portugal e devolver na Espanha, inclui uma taxa de retorno, que no nosso caso estava dando 600 euros a mais, só de taxa! Então alugamos o carro em Portugal, devolvemos no finzinho da nossa viagem em Portugal mesmo e sem pagar taxa de retorno. Seguimos para Espanha em ônibus regulares intermunicipais (não tinha trens nesse trecho). E assim optamos por essa boa economia na viagem.

Também considere na sua escolha se a cidade que você vai está bem servida de transporte público, principalmente metrô. Outros cuidados, o hotel cobra para estacionar o carro? Existe estacionamento fácil nas cidades escolhidas? Normalmente isso faz com que você opte por ficar sem carro, principalmente nas grandes cidades.

  1. Hora dos detalhes da reserva aérea: assento, escolha de refeições e programa de milhas

Viagem está quase chegando! Vai viajar com crianças? É muito importante escolher o assento (se sua passagem já permitir) e as refeições. Olhar se o voo escolhido tem 3 ou 4 assentos no meio, pensar em como se acomodarem melhor. O seat Guru é sempre minha referência quando procuro saber características do meu voo. Pega um voo de exemplo e navega nele.

Também é hora de checar se cadastrou seu programa de milhas na sua passagem.

 

  1. Seguro de viagem

Esse item já foi mais dor de cabeça. Hoje em dia, quase todos os bons cartões de crédito internacionais e planos de saúde beneficiam o usuário com seguro de viagem internacional gratuito, desde que a passagem tenha sido comprada com o cartão, ou a taxa das milhas. No caso de Plano de saúde, os beneficiários do plano têm esse direito. Nós estamos optando nas últimas vezes pelo seguro do plano de saúde da Sul América, que é da Mondial. Se eles cobrirem, preencham o formulário e irá receber no e-mail as apólices de seguro. Super simples.

Caso seu plano de Saúde ou cartão não cubram, então é hora de fazer cotações. Mesmo achando um dinheiro gasto desnecessariamente, ele é preventivo e alguns países europeus, exigem que o seguro cubra o Tratado de Schengen, então não tem como fugir.

Agora que sua viagem está planejada, basta esperar e se preparar com bagagens e os cuidados para o embarque, mas isso é assunto para outro post!